31 policiais acusados pela ‘Chacina da Messejana’ vão a júri popular no Ceará

M?es das vítimas fazem protesto em Fortaleza, CE

A Justiça do Ceará decidiu, nesta quarta-feira (30), submeter 31 dos 44 policiais acusados da participação na Chacina da Grande Messejana a júri popular. Outros três serão julgados na Justiça Militar. A sessão ocorrida na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará terminou às 16h38 e decidiu ainda que nenhum dos PMs vai ter prisão preventiva.

A Chacina da Grande Messejana, como ficou conhecida, ocorreu em 11 de novembro de 2015. Onze pessoas foram assassinadas em quatro bairros da mesma região de Fortaleza. Policiais militares foram os responsáveis pelas mortes, cujas motivações teriam sido uma vingança pela morte do soldado da Polícia Militar Valtemberg Chaves Serpa, assassinado horas antes ao proteger a mulher em uma tentativa de assalto.

O julgamento desta quarta foi dividido em três processos, analisando os recursos feitos pela defesa dos policiais. Dos 44 agentes acusados de participação dos crimes, a Justiça entendeu que 11 não deveriam ir a júri popular. Os demais foram pronunciados e entraram com recursos. As acusações incluem homicídio duplamente qualificado e tentativa de torturas físicas e psicológicas.

Participaram da sessão a desembargadora Marlúcia de Araújo Bezerra, como relatora, e os desembargadores José Tarcísio Souza da Silva e Francisco Lincoln Araújo e Silva.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui