IRB propõe ação contra ex-diretores e aprovação de contas com ressalva

O IRB diz que investigações internas implicam a responsabilização dos antigos CEO, José Carlos Cardoso, e CFO, Fernando Passos, notadamente quanto à veiculação de informações falsas com relação à participação acionária da Berkshire na companhia

Após aprovar mudanças no seu estatuto em uma assembleia geral extraordinária na semana passada, o IRB convocou nova reunião de acionistas, para 31 de julho, para votar sobre a aprovação de contas do ano passado e eleger um novo membro para o conselho de administração.

Depois do escândalo envolvendo a antiga gestão, desencadeado por denúncias de fragilidade contábil feitas pela gestora Squadra, a nova administração propõe que as contas de 2019, no tocante a todos os antigos diretores estatutários, “sejam aprovadas com reservas e ressalvas abrangentes, não lhes sendo dada a consequente exoneração e sem prejuízo da possibilidade de sua eventual futura responsabilização”.

O IRB diz que investigações internas acerca de fatos que implicam a responsabilização dos antigos CEO, José Carlos Cardoso, e CFO, Fernando Passos, notadamente quanto à veiculação de informações falsas com relação à participação acionária da Berkshire Hathaway na companhia.

Eles também são suspeitos de recebimento e pagamentos de bônus, sem as devidas aprovações e justificativas internas, e com a sonegação de informações ao conselho de administração, no valor de aproximadamente R$ 60 milhões.

Além disso, realizaram operação de recompra de ações em desrespeito aos limites impostos pelo conselho de administração. E foram detectadas incorreções nas demonstrações financeiras do exercício social de 2019, que obrigaram a nova diretoria a realizar o seu refazimento.

“Adicionalmente, ainda existem investigações internas em curso que podem vir a ter implicações adicionais sobre os ex-diretores, não apenas os nomeados acima, mas também a ex-diretora Lucia Maria da Silva Valle, a depender da confirmação ou identificação de condutas, ações e omissões que mantenham relação com os fatos acima descritos, ou mesmo que representem novos fatos”, diz o IRB.

Nesse sentido, a nova administração quer que a assembleia aprove o ajuizamento de ação social pela companhia contra Passos e Cardoso, para que busque os ressarcimentos dos prejuízos que sofreu.

Tendo em vista a alteração do estatuto social do IRB, aprovada na AGE realizada no dia 23 de junho, que ampliou a composição máxima do conselho de administração para até nove membros, a companhia propõe a eleição de Hugo Daniel Castillo Irigoyen para integrar o colegiado.

Irigoyen possui longa carreira no setor de resseguros, tendo atuado em áreas técnicas de sinistros (em seguradoras) e de subscrição (em resseguradoras) e assumido posições de liderança nacional e regional em diversas partes do mundo, em companhias globais (Munich Re e General Re). Também tem passagens pela Bradesco e SulAmérica Seguros. É graduado em engenharia civil, pela PUC do Rio Grande do Sul, com MBA da Queens University.

Deixe uma resposta