Paula Delai, médica e ex-jogadora, destaca curiosidades da participação feminina internacional na 44ª Olimpíada de Xadrez

paula delai_curiosidades da participação feminina

Para Paula Delai, médica e ex-jogadora, 44ª Olimpíada de Xadrez teve histórias motivadoras

Neste mês de agosto, aconteceu a 44ª edição da Olimpíada de Xadrez, de 28 de julho á 10 de agosto, realizada em Chennai, Índia

Para a médica e ex-jogadora de xadrez, Paula Fernanda Delai, deve-se salientar a medalha de ouro olímpica pela Seleção Ucraniana feminina de xadrez. “São exemplos de capacidade de superação e resiliência, conviver lado a lado com bombardeios, risco de perda de entes queridos, enfrentar um período de incertezas e recessão econômica, mesmo assim tornaram-se vitoriosas. A força mental e preparo psicológico dessas jogadoras é impressionante”.

Segundo Paula, um dos momentos especiais da competição foi o bronze conquistado pela equipe feminina de xadrez da Índia. “Foi a primeira vez que elas conseguiram uma medalha em uma Olimpíada da modalidade. Além do orgulho de estarem representando o país que sediou o evento, outro detalhe foi a participação de uma das atletas, Harika Dronavalli, que estava grávida de nove meses e poucos dias de dar à luz”, frisou a ex-jogadora.

Um outro aspecto, paralelamente a essa situação: “O curioso é que essa competidora, Harika, só pôde participar depois da autorização do seu obstetra. Com certeza influenciou na liberação que o deslocamento seria interno, entre lugares do mesmo país, já que não implicaria riscos á gestante e nem ao bebê, que poderiam ser causados no estresse de despressurização no voo. Seria possível haver até indução de parto prematuro em uma viagem de avião prolongada. Acho que o universo conspirou a favor dela”, ressalta Paula Delai.

Outra competidora que chamou a atenção dos participantes e do público em geral que acompanhou o evento presencialmente ou pela web foi a palestina Randa Seder, de apenas oito anos. Com 1442 de rating, ela foi a mais jovem participante da Olimpíada.

Para Paula Fernanda Delai, histórias como essas são motivadoras. “É muito significativo quando nos deparamos com histórias assim. Uma criança ter a coragem de enfrentar grandes feras do xadrez é uma lição para muitos. Da mesma forma foi a determinação da Harika, que mesmo a poucos dias de dar à luz não desistiu do seu sonho. Precisamos ter confiança em nós mesmos e encarar os desafios”, conclui a média e ex-jogadora de xadrez.